homem que xingou porteira de “macaca” guardava armas em cofre

Goiânia – Equipes da Polícia Civil de Goiás (PCGO) cumpriram, na manhã desta quinta-feira (29/4), mandados de busca e apreensão em propriedades do homem que aparece em vídeos xingando a porteira de um prédio, em Goiânia, de “macaca”, “chimpanzé” e “chipanga”. No apartamento dele, foram encontradas quatro armas de fogo.

Duas garruchas e dois revólveres calibre 22 estavam guardados dentro de um cofre. Imagens registradas pela polícia do momento das buscas mostram que uma das pessoas que estavam na casa abriu o cofre e um agente começa a retirar o que está dentro dele.

Veja:

O homem, identificado como Vinícius Pereira da Silva, não estava no local. Segundo a polícia, apenas a filha e a sogra dele estavam no apartamento. Ele é investigado por injúria racial e ameaça, desde que os vídeos vieram à tona. O caso aconteceu no dia 18 de abril.

A pessoa da família que fala com os policiais no vídeo feito durante as buscas diz não saber se Vinícius tem o registro das armas, mas informa que ele é atirador esportivo e teria CAC, ou seja, registro de caçador, atirador e colecionador.

A mesma pessoa, não identificada, diz ainda que abriu o cofre, depois de ligar para os parentes e pegar a senha. Ela informa não saber se Vinícius utiliza as armas no dia a dia ou se sai com elas para a rua, mas alega que o uso seria apenas esportivo, na fazenda que ele possui.

O delegado responsável pelo caso, Gil Bathaus, disse ao Metrópoles que não dá para saber ainda se as armas estão em situação irregular e que a apuração será feita para averiguar. Vinícius deve ser indiciado por injúria racial e ameaça.

0

Fazenda

O cumprimento dos mandados de busca e apreensão se estendeu ainda para a propriedade rural que Vinícius possui na cidade de Cocalinho (MT). A Polícia Civil do Mato Grosso auxiliou no trabalho e as diligências estavam em andamento até o final desta manhã.

O apartamento de Vinícius, em Goiânia, fica em um prédio de luxo, localizado no bairro Jardim Goiás, região nobre da cidade. Desde que o caso ocorreu, ele não apareceu mais. A defesa, inclusive, informou ao delegado que ele se manteria em silêncio, caso fosse interrogado.

Diante da informação dos advogados, Gil Bathaus solicitou que fosse anexado um documento informando da decisão de Vinícius de não se pronunciar no inquérito. Os mandados de busca são continuidade da investigação e o inquérito deve ser encerrado em breve.

Entenda o caso

Vinícius Pereira da Silva chegou ao portão da garagem do prédio na tarde de domingo (18/4) sem o controle do carro e apenas piscou os faróis para que a porteira abrisse o portão. Sem se identificar, a funcionária não cedeu, seguindo as regras de segurança.

O homem se exaltou, desceu do veículo e foi até a recepção do prédio, onde foi filmado a xingando de “macaca”, “chimpanzé” e “chipanga”. Ele, ainda, disse: “me encara, desgraça”.

Veja:

Nervosa e com medo, a porteira disse que conseguiu filmar apenas parte dos insultos e que decidiu registrar para usar como prova da injúria que sofreu. Ela registrou o caso na polícia, na companhia do síndico do prédio, Anderson Schneider, no dia seguinte, 19 de abril.

Após ir até a recepção, o homem subiu para o apartamento que fica no 12º andar. Ele teria defecado no elevador, antes de chegar em casa e, em seguida, interfonou na recepção, fez novos xingamentos à porteira e disse que ela não valia nada: “você é uma merda”. Posteriormente, a mulher do investigado divulgou uma nota no condomínio dizendo que o marido tem problemas intestinais.

Veja:

A porteira está afastada do trabalho, desde então. Ela recebeu apoio da administração e dos moradores do edifício para retornar à função. Abalada, ela passa por acompanhamento psicológico. Ela trabalha há seis anos na função e chegou a atuar em empresa de vigilância de Goiânia.



Comprar armas e munições



Suporte via whatsapp!