Detentos anunciam arma na internet, marcam encontro com policiais e mulher é presa ao levar sal no lugar de revólver | Pernambuco

A polícia desvendou, nesta quarta (28), um golpe de praticado por uma quadrilha formada por detentos, no Grande Recife. Pela internet, eles anunciaram a venda de um revólver. A mulher de um deles ficou encarregada de entregar a ‘mercadoria’ a um agente que se passava por cliente. Em vez da arma prometida, ela levou um saco com sal de cozinha e acabou presa (veja vídeo acima).

De acordo com o delegado Adyr Almeida, da Delegacia de Paulista, no Grande Recife, a mulher foi presa em flagrante por associação criminosa.

Os dois detentos também foram autuados pelo mesmo crime e terão agravamento das penas que já estão cumprindo. Eles também perderão direitos na cadeia.

“Fizemos esse flagrante na manhã desta quarta. É um golpe que vem sendo praticado por presidiários em vários lugares do Brasil. Aqui em Paulista, já tenho conhecimento de cinco casos”, declarou o delegado.

O golpe da falsa venda de arma foi descoberto quando a equipe de Adyr Almeida soube que havia um anúncio nas redes sociais de um revólver calibre 38.

Revólver foi anunciado por presidiários em grupo de vendas nas redes sociais, no Grande Recife — Foto: Polícia Civil/Divulgação

“Era um anúncio em grupo de vendas do Facebook. A arma custaria R$ 3.200. É um crime vender armas de fogo desse jeito e, por isso, fomos investigar”, declarou o policial.

Antes de fechar o negócio, os detentos, que estão no Presídio de Igarassu, no Grande Recife, enviaram um vídeo com uma imagem do revólver.

Para o delegado, eles queriam mostrar que tinham arma para vender e tentaram “dar a garantia” de que não “estavam mentindo”.

Os policiais entraram em contato com o telefone disponível no anúncio e marcaram um encontro para as 11h desta quarta, em um shopping em Paulista. No local, um agente trocou mensagens com a mulher responsável pela entrega.

Os integrantes da equipe da delegacia deram ordem de prisão e pegaram o pacote. Era uma caixa com o peso semelhante ao de uma arma. Dentro, havia um saco com cerca de um quilo de sal de cozinha.

Depois de prender a mulher em flagrante, o delegado entrou em contato com a Polícia Penal e localizou os dois presidiários. Um dos detentos era o companheiro da mulher que levou a caixa.

Pacote de sal foi levado por quadrilha para entregar a policial que se passou por cliente na venda de revólver pela internet — Foto: Polícia Civil/Divulgação

“Apreendemos o celular em que os dois publicaram o anúncio do revólver. Eles foram presos por assaltos”, disse Almeida.

Para o policial, esse é um crime difícil de ser investigado. As pessoas que tentam obter vantagem na compra de uma arma pela internet podem ser enquadradas por crimes. Por isso, as vítimas do golpe não vão até a delegacia denunciar.

“É preciso que as pessoas entendam que ter a intenção de cometer um delito não significa necessariamente que o crime foi praticado. Caso ocorra um crime desse tipo, a pessoa deve procurar a polícia para denunciar”. afirmou.

VÍDEOS: Mais assistidos em Pernambuco em sete dias



Comprar armas e munições



Suporte via whatsapp!