Como manter arma de fogo em residência que tem criança/adolescente ou pessoa com necessidades especiais – InfoArmas

                                                         Beabadotiro por Luciano Lara

No assunto segurança, tendo sido realizada a opção de buscar garantir pessoalmente os meios para a defesa de sua vida e de sua família, o passo seguinte para quem tem crianças, adolescentes, pessoas com necessidades especiais no ambiente passa a ser a preocupação com a segurança destas.

Trago verdades incômodas mas efetivas: não há pesadelo maior para os pais que o risco de disparo acidental e/ou má utilização do armamento por pessoa não autorizada ou nossos filhos.

VERDADE 1 – NÃO HÁ EXCESSO DE ZELO OU CUIDADO EM SE TRATANDO DE CAUTELA NO ACESSO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES A ARMAS E MUNIÇÕES

Qualquer coisa que possa e deva ser feita pelo responsável é pouco para a salvaguarda da integridade física de nossas crianças.

Infelizmente há casos de disparos acidentais e desde já que fique claro – A CULPA É EXCLUSIVA DO POSSUIDOR DA ARMA.

A omissão de cautela na guarda e segurança do armamento é inclusive crime específico previsto na Lei 10.826/2003, que em seu artigo 13 estabelece:

Omissão de cautela        Art. 13. Deixar de observar as cautelas necessárias para impedir que menor de 18 (dezoito) anos ou pessoa portadora de deficiência mental se apodere de arma de fogo que esteja sob sua posse ou que seja de sua propriedade:        Pena – detenção, de 1 (um) a 2 (dois) anos, e multa.

De nada adianta, ou se tem qualquer resultado satisfatório, em se processar o genitor que teve seu filho morto por utilização da arma guardada carregada e ao alcance da criança ou a genitora cuja filha efetuou disparo contra terceiro com a arma que se encontrava preparada para a defesa da família.

A tragédia já ocorreu e a condenação a pena de reclusão não se compara à perda gerada por aquela falta de cuidado.

Eu sei bem o que é isso: cresci em uma casa em que meu pai tinha armas dispostas em vários cômodos, sala, banheiro, quartos, biblioteca, quartinho dos fundos, cada uma em seu local “estratégico” com munição extra e carregadores para eventual uso.

Saiba também caro leitor, por mais que você seja criativo e pense que seu esconderijo é perfeito, tenha em mente que SEU FILHO/FILHA VAI ENCONTRAR, se é que já não o encontrou esses instrumentos.

Em razão da minha apreciação e dedicação ao tema, não é raro em visitas a casa de amigos (nos tempos em que estas eram normais!) logo na chegada alguém pedir para olhar um armamento, revisar algum dispositivo, realizar uma limpeza de primeiro escalão (sim o faço com prazer e se tiver a oportunidade de te conhecer pode me pedir que o farei com gosto!).

Sempre que isso acontece tenho a curiosidade de perguntar se os filhos/crianças da casa sabem do armamento e de sua localização/local de guarda.

Em 100% dos casos em que confirmei a resposta do dono do equipamento com as crianças/adolescentes, aqueles que acreditavam ter o esconderijo perfeito/porte velado insuspeito foram surpreendidos com a declaração de seus anjos sobre exatidão do local, rotina e mocós secundários.

Trava de alimentação/fechamento com cadeado

VERDADE 2 – NUNCA CONFIE QUE SUA PERSPICÁCIA É MAIOR QUE A CURIOSIDADE DO SEU FILHO

Criança é curiosa por natureza e tem tempo e por vezes um momento de descuido é suficiente para que o seu esconderijo perfeito seja descoberto e um mal maior venha a ocorrer.

Disso decorre que essa natural curiosidade ira levar a descoberta de equipamentos que não podem ser manipulados sem supervisão, em hipótese alguma.

Daí advém duas questões importantes: jamais acredite que o infante não terá força suficiente para alcançar/acionar o gatilho e saiba que quando começam as atividades com brinquedos em formato de armamento está na hora da conversa mais franca e realista possível sobre a distinção entre brinquedo/arma de fogo.

O dedão da criança tem quatro vezes mais força que os demais dedos, com isso poderá ser utilizado caso não consiga com os demais acionar o gatilho do armamento – sim o amigo já fez as contas e sabe onde estará apontado o cano para o uso do dedão no gatilho – para a própria cabecinha.

Quanto a brincadeira com os simulacros necessário o quanto antes o adulto esclarecer as diferenças, as consequências e as implicações do uso do brinquedo e da arma real, e nesse tópico não tem meio termo.

VERDADE 3 – SEMPRE A EDUCAÇÃO E A INFORMAÇÃO SERÃO MELHORES QUE O SEGREDO

Não queira pensar que o negar a existência da arma, o conhecimento do esconderijo, o esconder a existência do armamento o deixará mais seguro porque isso é uma falácia.

Jamais iria buscar criar fórmula de criação dos seus filhos, educação ou moral de conduta quanto a esse assunto meu amigo leitor, mas afirmo, por experiência própria que SEU FILHO ENCONTRARÁ A ARMA QUE ESTIVER ESCONDIDA, BEM COMO QUALQUER OUTRO INSTRUMENTO QUE ESTEJA DISPONÍVEL NO SEU IMÓVEL.

Disso resulta que a melhor estratégia é a informação, a educação sobre manuseio seguro, sobre armas e munições e até mesmo sobre a realidade do assunto evitando com isso que se pense tratar-se de um brinquedo, que não se saiba das consequências da utilização ou se olvide que NÃO SE PODE JAMAIS SEM A SUPERVISÃO DE UM ADULTO SEQUER COLOCAR A MÃO NUM ARMAMENTO OU MUNIÇÃO.

Acredite – já estive em sala de audiência em que um pai devastado dizia: “Doutor daqui pode sair qualquer pena, eu já perdi meu bem mais precioso, eu já desestruturei minha família, minha esposa está em depressão e nem quer me olhar, façam o que quiserem porque minha vida já acabou quando meu filho encontrou minha arma carregada debaixo do baco do veículo e a disparou.”

A tragédia anunciada e EVITÁVEL, porque absolutamente previsível, não pode ser tolerada e espero, com esse artigo, despertar a atenção daqueles que estão querendo adquirir a primeira arma,  daqueles que já a possuem e ainda não tem crianças em casa, daquele hoje solteiro mas que possui namorada ou quem frequente seu imóvel, ou daqueles que ainda não se atentaram para a questão, sobre a sua importância: arma não pode ficar carregada ao alcance de crianças/adolescentes/pessoas com necessidades especiais e também de pessoas que não tem instrução básica de segurança e manuseio.

Simples assim: NÃO PODE!

“Mas eu tenho várias armas e as deixo dispostos em locais estratégicos da casa para em qualquer cômodo que eu venha a ser surpreendido, feito refém, tenha que me homiziar eu tenha uma arma a minha disposição.”

Quanto mais cedo tal informação esteja disponível para os menores, mais fácil está o caminho daqueles responsáveis e mais garantida a situação de segurança.

COMO GARANTIR, ALÉM DA EDUCAÇÃO, A SEGURANÇA?

Cofre com abertura por impressão digital

Minha sugestão de conduta é: arma que não esteja em uso deve ser guardada, desmuniciada e fora do alcance de terceiros. Munições devem estar guardadas separadas.

Essa regra vale inclusive para o caso de uma invasão e utilização de uma sua arma contra você.

Arma que não está em uso deve estar se possível no cofre ou sala cofre.

Não tem cofre disponível? Arma desmuniciada, munições separadas, se possível arma então com cadeado/trava ou outro dispositivo que impeça a alimentação por pessoa desautorizada ou sem conhecimento.

Trava de gatilho

Pronto, correrão os incautos a bradar, o Lara tá sugerindo que não se tenha arma a pronto uso, dirão os que gostam de ler somente uma frase e sair inventando sobre o conteúdo do artigo.

O que disse, sustento, repito e exercito diariamente é SOMENTE A ARMA DE USO deve estar pronta para e em condições e mais que isso, SEMPRE PRONTA PARA E EM CONDIÇÕES, o que quer dizer ao alcance do seu usuário e se possível PORTADA, sendo trazida consigo, tão quente quanto seu treinamento e instrução permitem.

Só assim se consegue garantir a segurança do armamento e evitar que um acidente ocorra.

Arma em armário é alcançada, arma em guarda roupas é alcançada, arma em prateleira alta é alcançada, arma em gaveta por óbvio é achada e alcançada, arma embaixo do assento do sofá é alcançada, arma no armarinho do banheiro é achada, arma atrás/dentro de livro é achada, arma no criado mudo é obviamente alcançada.

E para os que me acreditarem exagerado e buscarem deixar, ao chegar em casa, o armamento descarregado (retirando carregador e esfriando a arma, retirando a munição da câmara) para então deixar em cima do armário/cômoda/mesa/prateleira fica a pergunta:

 – Você confia a vida do seu filho no procedimento?

 – Garante que nunca chegará cansado, estressado, descuidado e desatento?

 – Em cenário não menos pior, ao sair, tem certeza que não irá se esquecer de recarregar o armamento do porte diário?

Quanto a segurança e manuseio não há chance para erros, as regras são todas redundantes e reforçadas para que não ocorra um infortúnio.

Às quatro regras básicas costumo lembrar duas adicionais de ouro: conheça muito bem o funcionamento do seu armamento, que pode ter peculiaridades e dispositivos diferenciados E armas e munições devem ser armazenadas com MÁXIMA CAUTELA.

Jamais podem ser retirados da equação a vista de um vizinho, de um amiguinho, de uma funcionária nova, do filho desta, da amiga do amiguinho que não tem contato com essa nossa realidade – o imprevisível só será trágico, repito, se não esgotarmos nossas possibilidades de ação.

No assunto segurança no manuseio de armamento e munições com crianças em casa, nada, nunca é demais e não existe excesso de zelo.  

E para concluir, já vejo os questionamentos – mas aprendi no curso de segurança residencial que arma no cofre não é arma para a defesa – volte e releia o artigo porque aqui falamos de proteção das crianças quanto a acesso a armamento não em uso.

Sobre a arma para pronto uso sugiro a leitura do nosso artigo do mês passado antes de sair bravateando o que não entendeu ou leu.

Treinem, sempre e muito, e estudem bastante e não deixem jamais arma e munição ao alcance dos pequenos, dispara o like e até a próxima.



Comprar armas e munições



Suporte via whatsapp!


Publicidade

Tabesa CDD Brasil