Bolsonaro pretende investir pesado em programas sociais no país

O Palácio do Planalto disse que a ordem agora é investir em programas sociais. De acordo com informações de bastidores, esse é um desejo do próprio Presidente Jair Bolsonaro. E ele quer que os novos projetos funcionem neste próximo semestre.

O carro chefe de todos esses possíveis novas propostas seria mesmo o novo Bolsa Família. O próprio Presidente vem dando alguns detalhes deste projeto nas últimas entrevistas. Ele disse, por exemplo, que o novo Bolsa Família vai ter pagamentos médios de R$ 250.

Caso essa informação se confirme, então teríamos um aumento na média desses repasses. É que hoje, de acordo com o Ministério da Cidadania, a média de pagamentos do programa está na casa dos R$ 190. Além do aumento do valor, o Presidente quer aumentar o número dos beneficiários.

É portanto uma mudança de postura em relação ao que o próprio Presidente costumava dizer quando era Deputado Federal. Em 2011, ele chegou a dar uma entrevista dizendo que o Bolsa Família servia apenas para servir aos interesses do PT e para formar cidadãos dependentes do estado.

Por outro lado, membros da atual oposição costumavam dizer que Bolsonaro iria acabar com o projeto assim que ele chegasse ao poder. Porém, também não foi isso que aconteceu. Na verdade, o programa passou a atender mais gente do que costumava atender nos Governos de Lula e Dilma.

Olho na popularidade

Analistas acreditam que essa mudança de postura de Bolsonaro tem relação direta com a questão da popularidade. Quando ele pagou o Auxílio Emergencial durante o ano de 2020, o Presidente viu a sua popularidade alcançar o melhor patamar para ele.

Agora ele quer, aparentemente, voltar a estes números. E por isso ele estaria vendo que a melhor forma de fazer isso seria investindo pesado nos programas sociais de transferência de renda ainda este ano. Vale lembrar que as eleições presidenciais no Brasil devem acontecer no ano de 2022.

Nas redes sociais, algumas pessoas comemoram timidamente essas informações de bastidores. “Não gosto do Presidente, mas tomara que ele continue achando que vai subir em popularidade se aumentar os programas sociais. A gente tá precisando de dinheiro mesmo”, disse um internauta no Twitter.

Auxílio de Bolsonaro

O Palácio do Planalto acredita também que outra saída para o Presidente é tentar esticar o atual Auxílio Emergencial. Dentro do Congresso, vários deputados do grupo político Centrão querem que o Governo estique esses pagamentos até, pelo menos, o próximo mês de novembro.

No entanto, ainda não se sabe se o Governo vai fazer isso mesmo. O que se sabe é que o Presidente tem todas essas opções em seu gabinete. De acordo com membros do Planalto, o objetivo é usar essas armas ao seu favor ainda neste segundo semestre.

O Datafolha mais recente, no entanto, mostrou que a aprovação de Bolsonaro não melhorou mesmo após o início dos pagamentos do novo Auxílio. Isso pode significar portanto um sinal amarelo dentro do Governo. Seja como for, a questão agora é esperar para ver se os novos projetos podem fazer a popularidade do Presidente voltar a subir.



Comprar armas e munições



Suporte via whatsapp!